Milei critica governos socialistas na América do Sul

O presidente da Argentina, Javier Milei, criticou, neste domingo, 7, os governos socialistas da América do Sul. Ele proferiu a crítica durante a CPAC Brasil 2014 — conferência conservadora realizada em Balneário Camboriú (SC). Ele também defendeu o ex-presidente Jair Bolsonaro, ao dizer que há perseguição a políticos de direita.

+ Leia mais notícias de Política em Oeste

“Olhem o que aconteceu na Venezuela, olha o que aconteceu na Bolívia, quando Evo Morales ganhou pela terceira vez, olhem a perseguição que o nosso amigo Bolsonaro sofre aqui no Brasil”, disse Milei.

Milei diz que o socialismo do século 21 é feito de “fracasso e ressentimento”

As declarações ocorrem dias depois de a Polícia Federal (PF) indiciar Bolsonaro no caso das joias sauditas. Milei classificou a ideologia de esquerda, especialmente o socialismo do século 21, como “feita de fracasso e ressentimento”.

Milei afirmou que há perseguição a políticos de direita, como o ex-presidente Jair Bolsonaro

Além disso, o presidente argentino argumentou que os governos socialistas na América do Sul seguiram um padrão: um início de prosperidade por causa da exportação de commodities e alta popularidade, seguido por gastos públicos excessivos e crise econômica. 

“O socialismo, com a ‘etiqueta da inclusão social’, torna os mais pobres verdadeiros clientes, junto com uma casta privilegiada de empresários”, criticou. “A Argentina foi um caso intermediário do socialismo do século 21. Não chegou no caso da Venezuela ou de Cuba, por causa do povo rebelde, que resistiu a ser dominado.”

Leia também:

Compartilhe: