Traficante ordena fechamento de igrejas católicas

Três igrejas católicas no Rio de Janeiro tiveram de fechar suas portas, neste sábado, 6, por ordens do traficante Álvaro Malaquias, conhecido como “Peixão”. O criminoso, líder do tráfico no Complexo de Israel, está foragido e enfrenta nove mandados de prisão.

As igrejas afetadas foram a Paróquia Santa Edwiges, no bairro Parada de Lucas; a Paróquia Nossa Senhora da Conceição e São Justino; e a Paróquia Santa Cecília, estas duas últimas no bairro Brás de Pina. 

As igrejas utilizaram as redes sociais para informar sobre o cancelamento de suas atividades. Posteriormente, a Paróquia Santa Edwiges e a igreja Nossa Senhora da Conceição e São Justino anunciaram a retomada de suas agendas.

De acordo com fiéis ouvidos pelo jornal O Dia, criminosos armados foram responsáveis por notificar as paróquias. A atitude gerou um clima de medo e tensão na comunidade local.

Criminoso do Rio de Janeiro também persegue religiões de matriz africana

Álvaro Malaquias, além de suas ações contra igrejas católicas, também é conhecido por perseguir terreiros de umbanda e outras religiões de matriz africana.

O Complexo de Israel foi estabelecido em 2016. À época, Peixão expandiu seu domínio além da Cidade Alta. A área inclui favelas adjacentes como Pica-Pau e, mais recentemente, Cinco Bocas, Parada de Lucas e Vigário Geral.

A Secretaria de Segurança do Estado do Rio de Janeiro negou as alegações sobre o fechamento das igrejas. O órgão informou ao portal G1 que o policiamento na região foi reforçado.

Leia também:

Compartilhe: