Milei assina ‘Pacto de Maio’, com metas econômicas e sociais

O presidente da Argentina, Javier Milei, assinou o “Pacto de Maio”. Trata-se de um documento que estabelece dez metas econômicas e sociais para o país. O chefe do Executivo argentino firmou o acordo nesta terça-feira, 9, durante a celebração do aniversário da Independência do país, realizado na Casa Histórica de Tucumán.

+ Leia mais notícias do Mundo em Oeste

Milei escolheu a data para assinar o documento para coincidir com o feriado nacional e para dar simbolismo ao evento. A cerimônia contou com a presença de 18 dos 23 governadores provinciais e dos ex-presidentes Mauricio Macri e Adolfo Rodríguez Saá.

As declarações de Milei sobre o pacto

Durante seu discurso, Milei declarou que, apesar das divergências, os presentes assinaram a ata “em resposta ao apelo que lhes foi feito pelo povo argentino”. Além disso, afirmou que o pacto é “sem dúvida o símbolo de uma mudança de época”.

As dez metas principais do acordo de maio:

  • Inviolabilidade da propriedade privada;
  • Equilíbrio fiscal;
  • Redução dos gastos públicos;
  • Educação com alfabetização plena e sem evasão escolar;
  • Reforma tributária;
  • Rediscussão da co-participação na legislação federal;
  • Exploração dos recursos naturais do país;
  • Reforma trabalhista; e
  • Abertura ao comércio internacional.

A cerimônia foi marcada pela ausência de integrantes da Suprema Corte, representantes sindicais e dos ex-presidentes Cristina Kirchner e Alberto Fernández. O governo argentino viu essas ausências como um sinal de resistência às propostas do pacto.

Manifestações ocorreram do lado de fora da Casa Histórica de Tucumán durante a cerimônia. A polícia prendeu três pessoas.

Leia também:

Compartilhe: